Atendimento: (11) 3477-1003 ou 99901-3932
Facebook Twitter Youtube Whatsapp
Serra da Capivara
O Parque Nacional Serra da Capivara está localizado no sudeste do Estado do Piauí, ocupando áreas dos municípios de São Raimundo Nonato, João Costa, Brejo do Piauí e Coronel José Dias.

Declarado Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO, o Parque Nacional da Serra da Capivara foi criado para preservar um dos maiores tesouros arqueológicos do mundo: milhares de inscrições pré-históricas com idades de seis a 12 mil anos, gravadas em paredões de rocha. As pinturas representam aspectos do dia-a-dia, danças, ritos e cerimônias dos antigos habitantes da região, além de figuras de animais, alguns já extintos. O relevo atual formou-se há cerca de 240 milhões de anos.

Nas escavações realizadas na Serra da Capivara, os pesquisadores encontraram ferramentas, restos de utensílios de cerâmica e sepultamentos. Pesquisas sobre as descobertas feitas na área levaram arqueólogos a acreditar que o homem teria habitado o continente americano há mais de 30 mil anos - contrariando as teorias mais aceitas pelos cientistas. As pinturas rupestres e os objetos achados podem ser vistos em alguns dos sítios abertos à visitação, entre os mais de 744 existentes no Parque.

Hoje, o Parque Nacional da Serra da Capivara é administrado pela FUMDHAM - Fundação Museu do Homem Americano, de caráter privado, em parceria com o Ibama - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, e oferece ótima estrutura para visitação, com trilhas demarcadas e guias especializados. Na cidade de São Raimundo Nonato, a poucos quilômetros dali, fica o Museu do Homem Americano, com acervo montado a partir das peças encontradas nas explorações arqueológicas realizadas na área do Parque.

A formação que mais impressiona é a Toca do Boqueirão da Pedra Furada, uma abertura de 15m de diâmetro, num paredão com mais de 60m de altura - o cartão-postal do Parque. A fauna e a flora são ricas e típicas representações da região da caatinga, onde o clima é semi-árido. Nos meses de chuva – entre dezembro e maio - a vegetação, que parece pobre durante a seca, floresce. Jaguatiricas, tatus, mocós, seriemas, onças, gatos-do-mato, serpentes e morcegos convivem com mandacarus, xique-xiques, juazeiros e aroeiras. E já foram catalogadas também mais de 200 espécies de aves.