Egito

Deserto e camelos

Berço de uma das civilizações mais antigas do mundo, o Egito está localizado no nordeste da África, em um grande deserto cortado pelo verde do Rio Nilo.

O Egito é reconhecido por sua história, pela antiga civilização faraônica, pelas pirâmides de Gizé e a Esfinge. Alem dos sítios antigos como o templo de Karnak e o vale dos reis.

– Pirâmide Escalonada de Sakara
É o monumento mais antigo do Egito e do mundo, datado de 2650 a.C. Não bastasse isso, ela ainda impressiona pela grandeza e pela sensação de paz que proporciona, pelo fato de a urbanização da cidade não ter chegado até lá. Incluo a monumental estátua de Ramsés II em Mênfis, cidade que por séculos foi a mais importante e a mais cosmopolita do Egito. Se hoje resta pouco da antiga grandeza, o faraó deitado ainda é um espetáculo: mede mais de 10 metros de altura. Seriam 13 se não tivesse perdido parte das pernas.

As três magníficas pirâmides de Gizé parecem atemporais, como se perdidas em um mundo paralelo, solitário, absortas em seu próprio mistério. Mas elas passaram o milênio com uma companhia: aquela enigmática criatura de pedra, a Grande Esfinge. Essa figura em repouso é um leão com o rosto de um homem, provavelmente o de Quéfrem. Esculpida inteiramente a partir de um único afloramento de rocha de calcário, a Esfinge encara o alvorecer.

– Pirâmides de Gizé, Guizé ou Guiza
Foram construídas no Egípcio antigo há aproximadamente 4500 anos. As mais antigas e únicas sobreviventes das Antigas Maravilhas do Mundo, são testemunho da perfeição na arte e no design nunca posteriormente alcançada. Foram construídas por projetistas e engenheiros unicamente para servir aos seus soberanos terrenos, e que eram também os seus deuses. As pirâmides eram a mais pura das construções, e foram concebidas para a eternidade. Foram construídas com pedras calcarias, e revestido com uma camada de pedras polidas que contem um brilho distinto.

– A Grande Esfinge
O rei Thutmose IV acreditava que a Esfinge falava com ele quando ele adormecia sob sua sombra. Ele sonhou que a figura pediu a ele para limpar as areias invadidas do deserto que o sufocavam e, como prêmio, a Esfinge prometeu a Thutmose IV o trono do Egito. Quando esses eventos passaram, para memorizá-los o rei ergueu um marcador de pedra entre as patas da Esfinge. Como as pirâmides, a Esfinge apresenta o mundo como um mistério para confundir as eras.

– Templos de Karnak e Luxor
Mais que templos, são um conjunto de santuários, colunas, pilares e obeliscos dedicados aos deuses tebanos e aos faraós. Podem ser vistos durante o dia e à noite, quando o deslumbre é ainda maior. Há ainda uma avenida das esfinges ligando Karnak a Luxor, e o moderno e bem equipado Museu de Arte Antiga Egípcia.

– Vale dos Reis, Vale das Rainhas e os Colossos de Memnon
Sobre o Vale dos Reis, apenas deserto, poeira e calor. Embaixo: tumbas e mais tumbas. As mais importantes são as de Ramsés IV, Ramsés I e Ramsés IX, fartamente decoradas e pintadas. No Vale das Rainhas, entre inúmeros templos funerários, destaque absoluto para o da rainha Hatchepsout, feito por Senenmout, seu arquiteto, primeiro ministro e favorito. Emerge da rocha com a qual parece mimetizar. Os Colossos de Memnon: duas gigantescas estátuas de Amenófi s III. São dois blocos monolíticos, pesando 720 toneladas cada um. O da direita de quem olha apresentava um fenômeno curioso que gerou mil histórias: depois da umidade da noite e com o calor do sol matinal, emitia sons que pareciam lamentos.

– Cruzeiro pelo Nilo
Navegar pelo Nilo é a melhor maneira de conhecer três dos mais bem conservados templos do país: Dendera. Inteiramente dedicado a Hator, deusa do amor e do sexo, protetora das mulheres e considerada babá do faraó. Todas as colunas têm capitéis com o rosto da deusa, sempre sem o nariz, culpa de um dos muitos invasores do Egito. Edfu Mede 137 por 79 metros, o que o faz o segundo templo do Egito depois de Karnak. É dedicado a Horus, o falcão, marido de Hator. Consta que os deuses se visitavam anualmente, o que era motivo de festas que durava um mês. Aqui os capitéis são variados: feixes de trigo, palmeiras, flores de lótus. Sem dúvida, serviram de inspiração para a art nouveau, séculos depois.
Kom Ombo Dedicado ao deus crocodilo Sobek e também a Horus, foi construído por Ptolomeu VI, no século 3 de nossa era. A localização é privilegiada: numa acrópole à beira do Nilo. Penso que no Egito todos os templos e estátuas não são apenas templos e estátuas, mas sim eternos vigilantes e testemunhas da história.

– Templo de Ísis na Ilha de Philae, em Aswan
Construído pelos ptolomeus, a última dinastia de faraós gregos (Cleópatra foi a derradeira rainha dessa dinastia), foi totalmente transportado de uma ilha para outra quando da construção da grande represa por Nasser, presidente do país entre 1954 e 1970. O lugar serviu de inspiração para um sem-número de escritores e artistas, que fizeram de Philae um centro de peregrinação poética no século 19.

– Templos de Abu Simbel
A meia hora de vôo de Aswan, dedicados a Ramsés II e a sua bem-amada Nefertari. Talvez o testemunho mais grandioso do poder desse magnífico faraó se encontre aqui, nos confins do Egito, na fronteira com o Sudão. Os templos também foram mudados de lugar para escapar à inundação da grande represa de Nasser. O trabalho hercúleo de artesãos, engenheiros e arquitetos de todo o mundo foi tão monumental quanto as quatro gigantescas estátuas de Ramsés II, que guardam a entrada do templo e olham para o deserto sem fim.

– Península do Sinai
O balneário de Sharm El-Sheikh, famoso ponto de mergulho, é a base perfeita para visitar o Mosteiro de Santa Catarina, aos pés do Monte Sinai, onde Moisés, segundo a tradição, recebeu as Tábuas da Lei. Local sagrado para cristãos, judeus e muçulmanos, é um conjunto de construções, algumas datadas do século 4 de nossa era. Seu interior guarda preciosidades, como a Igreja da Transfiguração, a Capela da Salsa Ardente, o Poço de Moisés e o Museu do Monastério.

O Egito possui um clima praticamente desértico, pois é uma extensão do Saara no norte da África. Os verões são secos e muito quentes e os invernos moderados.

A melhor época para se visitar o país é entre novembro e janeiro.

BRASILEIROS: Passaporte (validade mínima de 6 meses) e Visto de turista (O visto para o Egito pode ser emitido localmente mediante pagamento de taxa no local (em torno de USD30,00, sujeito a reajuste sem aviso prévio).

ESTRANGEIROS: é necessário RNE original e Passaporte. Importante verificar se o país de destino exige visto de seu país natal.

MENORES de 18 anos – autorização por autenticidade* de pai e mãe, com firma reconhecida em 3 vias (para menores viajando sem a presença do pai e da mãe, acompanhados por terceiros maiores e capazes). A mesma regra aplica quando acompanhados por apenas um dos pais, autorização por autenticidade* do genitor que não viajará.

* Firma reconhecida por autenticidade: significa que ambos os pais devem comparecer pessoalmente ao cartório para providenciarem o documento de autorização.
**O novo passaporte brasileiro (cor azul) não registra s filiação do viajante (não consta os nomes dos pais). Por isso, os menores de idade, viajando ou não acompanhados dos pais, além do passaporte válido, também deverão apresentar no check in, o RG ou Certidão de Nascimento original. Isso é necessário para confirmar a paternidade do menor.

Vacinas

– É obrigatória a apresentação do comprovante internacional de vacinação contra a Febre Amarela (tirada com no mínimo 10 dias antes do embarque).

– Devido a pandemia do Covid 19, é exigida a vacina para efeitos de viagens ao exterior. Consulte-nos para maior detalhamento das exigências.

Destaques

Argentina: De Buenos Aires à Patagônia

Buenos Aires, Ushuaia, El Calafate, El Chalten, Península Valdez, Mendoza e muito mais.. roteiros personalizados de acordo com perfil do viajante!

Jalapão Reveillon 2022

Conheça as águas do Jalapão, incríveis cachoeiras opte por um Reveillon diferente!

Carnaval Costa Rica – 2022

Experiência de Viagem à Costa Rica no Carnaval 2022, flora exuberante e natureza plena!

Serra do Cipó Light – Rios, Cachoeiras e Sítios Arqueológicos

Santuário de biodiversidade Serra do Cipó, localizada na Serra do Espinhaço a 100km de Belo Horizonte, vem com a gente!

Rota das Emoções – Lençóis Maranhenses, Delta e Jericoacoara

Impressionante viagem por uma das mais singulares regiões do globo, a Rota das Emoções – Jeri, Delta e Lençóis.

Traduções »